Arquivo da categoria: Livros

Obras espíritas recomendadas

Memórias de Um Suicida – Versão Audionovela

memoriassuicida

Radionovela Memórias de um Suicida – Uma lição de arrependimento e renovação

Lançada a radionovela Memórias de um Suicida, que apresenta em 41 capítulos a trajetória do Espírito Camilo Cândido Botelho (pseudônimo), que cometeu suicídio em 1º de junho de 1890, se descobriu vivo no Mundo Espiritual, além de ver seus dramas serem dolorosamente multiplicados por mais de 50 anos de padecimentos e remorsos, jamais experimentados por ele na Terra.

A obra Memórias de um Suicida foi psicografada pela médium Yvonne do Amaral Pereira, sendo a trama do livro transformada em novela por iniciativa do radialista Paiva Netto. A produção conta com os principais dubladores do país, além de uma trilha sonora emocionante e efeitos especiais.

O lançamento ocorreu em todas as Igrejas Ecumênicas da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo dentro da Cruzada Salvemos Vidas e Almas para Deus que ensina “O suicídio não resolve as angústias de ninguém”. Os direitos autorais pertencem à Federação Espírita Brasileira (FEB), que gentilmente autorizou a sua radiofonização.

A Federação Espírita Pernambucana é também parceira da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo. A radionovela Memórias de um Suicida pode ser adquirida ao valor de R$29,90 (vinte e nove reais e noventa centavos) na Livraria da FEP, localizada à Avenida João de Barros, 1629 – Bairro do Espinheiro – Recife/PE.

Fonte: http://federacaoespiritape.org/radionovela-memorias-de-um-suicida/
Anúncios

A viagem de uma alma

viagemalma

Um dos assuntos mais complexos na doutrina espírita é o mundo espiritual. Os espíritos quando se comunicam não podem descrever minuciosamente o ambiente espiritual, não somente por não existir vocabulário nos idiomas da terra que pudesse exprimir de modo claro o assunto, mas sobretudo porque a verdade deve ser uma busca permanente. A afirmação da existência do céu e do inferno não mais satisfaz o homem e a mulher modernos na ânsia de melhor explicação do porquê da vida e da morte, mantendo-se na angustiada situação de que a vida é um ponto de interrogação entre o berço e o túmulo. Quanto à existência do mundo espiritual não há qualquer dúvida a respeito, mercê de vários fatos concretos e trazidos ao público por meio de literatura, especialmente aquelas escritas por cientistas.

Na busca de obras que tratem do assunto, deparei-me com um livro que já vendeu mais de 150.000 exemplares. Trata-se da obra A viagem de uma alma, escrita por Peter Richelieu, editado pela Editora Pensamento. O autor narra a jornada de um homem que, depois da morte do irmão, entra em estado de depressão e implora ajuda aos céus para compreender essa perda. Seu apelo é atendido e ele recebe a visita de Acharya, um mestre indiano, que lhe diz que seu irmão está vivo e oferece-lhe uma oportunidade para se certificar disso. Valendo-se da projeção astral, ele empreende uma série de viagens aos diversos subplanos do plano astral, onde descobre que tipo de experiência aguarda os seres humanos apos a morte. Cada nivel ensina alguma coisa nova e possibilita uma percepção direta dos mistérios desconhecidos da vida e da morte. Após vários encontros com os que se foram, entre os quais o irmão, ele compreende que é irracional temer a morte.

Esta obra investiga o mundo dos elementos da natureza desde fadas até anjos -, a reencarnação, o karma, a vida após a morte e o livre-arbítrio. Uma obra tão rica e cativante que faz o leitor sentir que ele próprio também está se submetendo a uma iniciação nos mistérios da vida. Na viagem astral de que trata a obra é explicitado o que seja o corpo astral, composto de matéria muito mais fina do que a física, o qual pode viajar em torno do mundo em cerca de dois minutos e meio. É uma oportunidade feliz de descobrir como vive o mundo espiritual.

Muito embora não se trate de uma obra espírita, uma vez que o seu texto não traz qualquer menção expressa, todos os homens e mulheres, iguais em espírito, quando adormecem, tendem sempre a realizar viagens astrais. Para tanto, poderão receber instruções por meio do site www.serespiritual.org.

Ubirajara Emanuel Tavares de Melo, Vice-Presidente da ADE, diretor do NEIL. Texto publicado no Jornal do Commercio de 07 de julho de 2013.

Reciclando a maledicência

capa

Livro do Clube do Centro Espírita Maria de Nazaré do mês de maio passado, tive a grata satisfação de tê-lo em mãos.

A autora Bianca Ganuza, psicóloga e espírita, de São José dos Campos, São Paulo, escreveu esse livro pensando na necessidade que todos os seres humanos possuímos de melhorar nossa forma de lidar com a arte de bem-dizer.

Em “Reciclando a Maledicência”, mais do que um compendio dirigido à conduta reta na arte de bem-dizer, vamos encontrar também preciosos ensinamentos que ampliam em muito o nosso autoconhecimento. Aliás, o destaque na capa do livro diz: “um livro para todas as pessoas que desejam ampliar seu autoconhecimento e a tolerância nas relações”.

Para saber mais, acesse o blog de Wanderley Oliveira.

 

Imagem

Novo Testamento – Nova Tradução

feb_NT

Sacudir o pó

Pão Nosso

“E se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó de vossos pés.” — Jesus. (MATEUS, CAPÍTULO 10, VERSÍCULO 14.)

Os próprios discípulos materializaram o ensinamento de Jesus, sacudindo a poeira das sandálias, em se retirando desse ou daquele lugar de rebeldia ou impenitência.
Todavia, se o símbolo que transparece da lição do Mestre estivesse destinado apenas a gesto mecânico, não teríamos nele senão um conjunto de palavras vazias.
O ensinamento, porém, é mais profundo. Recomenda a extinção do fermento doentio.
Sacudir o pó dos pés é não conservar qualquer mágoa ou qualquer detrito nas bases da vida, em face da ignorância e da perversidade que se manifestam no caminho de nossas experiências comuns.
Natural é o desejo de confiar a outrem as sementes da verdade e do bem, entretanto, se somos recebidos pela hostilidade do meio a que nos dirigimos, não é razoável nos mantenhamos em longas observações e apontamentos, que, ao invés de conduzir-nos a tarefa a êxito oportuno, estabelecem sombras e dificuldades em torno de nós.
Se alguém te não recebeu a boa-vontade, nem te percebeu a boa intenção, por que a perda de tempo em sentenças acusatórias? Tal atitude não soluciona os problemas espirituais. Ignoras, acaso, que o negador e o indiferente serão igualmente chamados pela morte do corpo à nossa pátria de origem? Encomenda-os a Jesus com amor e prossegue, em linha reta, buscando os teus sagrados objetivos. Há muito por fazer na edificação espiritual do mundo e de ti mesmo. Sacode, pois, as más impressões e marcha alegremente.

Do Espírito Emmanuel pelo médium Francisco Cândido Xavier, da obra “Pão Nosso”

Em nome do Amor

livro_novo_divaldo

Esse é o título do mais recente trabalho que nos chega pelas mãos do médium Divaldo Pereira Franco, do Espírito Bezerra de Menezes.

O que é a mediunidade? Como funcionam os canais de comunicação entre os vivos e os mortos? A partir de palestras e entrevistas concedidas pelo médium Divaldo Pereira Franco, as diversas vertentes do trabalho mediúnico são abordadas nesta obra organizada para estimular e esclarecer a prática e a vivência daqueles que participam e pesquisam a Doutrina Espirita em seu dia a dia.

Além de respostas e comentários sobre a mediunidade, o livro traz ainda uma série de belas mensagens do Espírito Bezerra de Menezes recebidas pelo médium baiano Divaldo Pereira Franco em reuniões do Conselho Federativo Nacional e em outros eventos espíritasnacionais e internacionais.

Um estranho convite

capa_livro_jamiro_novo

Esse é o título do mais recente trabalho de Jamiro dos Santos Filho. Confira, com o próprio autor, do que se trata a obra:

Eu coloquei nessas páginas um estranho convite. Mas, não me leve a mal, apenas leia até o final. Talvez você jamais tenha ouvido um convite assim e, provavelmente, nunca tenha cogitado essa possibilidade. No entanto, posso garantir que não é brincadeira. É sério e espero que você aceite. Nesse singelo livro falei de um tema doloroso, eu sei. No entanto, tentei colocar o perfume da ternura a fim de me fazer entender. Falei também da flor de lótus que nasce no pântano e aparece pura e perfumada mesmo em águas escuras. Convido-o a ser como a flor de lótus, que nasce no pântano exibindo beleza e força, e nas águas lodosas e sujas desabrocha em flores brancas, imaculadas, uma perfeição da natureza. Usei essa flor como símbolo de quem se faz instrumento do amor, em qualquer lugar ou situação. Espero que esse livro alimente sua alma.

Publicado pela Editora Bezerra de Menezes.

Confira neste link a entrevista de Jamiro sobre o novo livro.

·