Arquivo da tag: bezerra de menezes

Bezerra de Menezes – O médico dos pobres

Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti, nasceu em Riacho do Sangue, 29 de agosto de 1831, retornando à pátria espiritual no Rio de Janeiro, em 11 de abril de 1900. Foi um médico, militar, escritor, jornalista, político e expoente da Doutrina Espírita no Brasil.

Bezerra também integrou a frente abolicionista. Durante a campanha publicou o ensaio “A escravidão no Brasil e as medidas que convém tomar para extingui-la sem dano para a Nação” (1869), onde não só defende a liberdade aos escravos, mas também a inserção e adaptação dos mesmos na sociedade por meio da educação. Nesta obra, Bezerra se auto-intitula um liberal, e propõe que se imitasse os ingleses, que na época já haviam abolido a escravidão de seus domínios.

Conheceu a Doutrina Espírita quando do lançamento da tradução em língua portuguesa de O Livro dos Espíritos (sem data, em 1875), através de um exemplar que lhe foi oferecido com dedicatória pelo seu tradutor, Dr. Joaquim Carlos Travassos. Sobre o contacto com a obra, o próprio Bezerra registrou posteriormente:

“Deu-mo na cidade e eu morava na Tijuca, a uma hora de viagem de bonde. Embarquei com o livro e, como não tinha distracção para a longa viagem, disse comigo: ora, Deus! Não hei de ir para o inferno por ler isto… Depois, é ridículo confessar-me ignorante desta filosofia, quando tenho estudado todas as escolas filosóficas. Pensando assim, abri o livro e prendi-me a ele, como acontecera com a Bíblia. Lia. Mas não encontrava nada que fosse novo para meu Espírito. Entretanto, tudo aquilo era novo para mim!… Eu já tinha lido ou ouvido tudo o que se achava no ‘O Livro dos Espíritos’. Preocupei- me seriamente com este fato maravilhoso e a mim mesmo dizia: parece que eu era espírita inconsciente, ou, mesmo como se diz vulgarmente, de nascença.”

A vida de Bezerra de Menezes foi transposta para o cinema, na película Bezerra de Menezes – O Diário de Um Espírito, com direção de Glauber Santos Paiva Filho e Joel Pimentel. O elenco é integrado por Carlos Vereza no papel título, Caio Blat e Paulo Goulart Filho, e com a participação especial de Lúcio Mauro.

Dotado de especial talento para a oratória e para a escrita, Bezerra de Menezes deixou as seguintes contribuições:

  • 1892 – publicação da sua tradução de Obras Póstumas, de Allan Kardec
  • 1902 – “A Casa Assombrada” (romance originalmente publicado no Reformador e, postumamente, em livro, pela FEB)
  • 1907 – “Espiritismo (Estudos Filosóficos)” (coletânea dos artigos publicados em O Paiz no período de 1877 a 1894, publicada pela FEB em três volumes)
  • 1983 – “Os Carneiros de Panúrgio” (romance originalmente publicado no Reformador e, postumamente, em livro, pela FEESP)
  • 1946 – “A Doutrina Espírita como Filosofia Teogônica” ou “Uma carta de Bezerra de Menezes” (réplica a seu irmão que lhe exprobrava a conversão ao Espiritismo, publicada postumamente, em livro, pela FEB)
  • 1920 – “A Loucura sob novo prisma” (estudo etiológico sobre as perturbações mentais, publicado pela FEB)
  • Casamento e mortalha” (romance, incompleto)
  • Evangelho do Futuro
  • História de um Sonho
  • Lázaro, o Leproso
  • O Bandido
  • Os Mortos que Vivem
  • Pérola Negra
  • Segredos da Natura
  • Viagem através dos Séculos

Mesmo depois de retornar ao mundo espiritual, Bezerra de Menezes continuou trabalhando e produzindo, escrevendo as seguintes obras:

  • Através de Divaldo Pereira Franco – “Compromissos Iluminativos” (coletânea de mensagens, ed. LEAL: 1991)
Através de Francisco Cândido Xavier:
  • 1973 – “Bezerra, Chico e Você” (coletânea de mensagens, ed. GEEM)
  • 1986 – “Apelos Cristãos” (coletânea de mensagens, ed. UEM)
  • Nosso Livro
  • Cartas do Coração
  • Instruções Psicofônicas
  • O Espírito da Verdade
  • Relicário de Luz
  • Dicionário d’Alma
  • Antologia Mediúnica do Natal
  • Caminho Espírita
  • Luz no Lar
Através de Francisco de Assis Periotto:
  • 2001 – “Fluidos de Luz: ensinamentos de Bezerra de Menezes” (Ed. Elevação)
  • 2002 – “Fluidos de Paz: ensinamentos de Bezerra de Menezes” (Ed. Elevação)
  • 2006 – “Conversando com seu Anjo da Guarda – ensinamentos de Bezerra de Menezes sobre a Agenda Espiritual ” (Ed. Elevação)
Através de Maria Cecília Paiva:
  • Garimpos do Além” (coletânea de mensagens, ed. Instituto Maria).
Através de Waldo Vieira:
  • Entre Irmãos de Outras Terras
  • Seareiros de Volta
Através de Yvonne do Amaral Pereira:
  • 1955 – “Nas Telas do Infinito” (1ª. Parte, romance, ed. FEB)
  • 1957 – “A Tragédia de Santa Maria” (romance, ed. FEB)
  • 1964 – “Dramas da Obsessão” (romance, ed. FEB)
  • 1968 – “Recordações da Mediunidade” (relatos e orientações, ed. FEB)

O epíteto de “O médico dos pobres” surgiu da sua dedicação – retratada no filme – à prática da medicina desvinculada de ganhos financeiros. Quando um paciente não podia pagar pelos seus serviços, Bezerra não o cobrava e em muitos casos ajudou aqueles que demonstravam dificuldades para adquirir os medicamentos necessários ao tratamento. Conduta que lhe rendeu, também, inúmeras dificuldades financeiras até mesmo para com os seus compromissos pessoais e familiares.

Bezerra de Menezes foi, assim, uma unanimidade. Admirado e respeitado por religiosos, autoridades, políticos e, principalmente, pelas pessoas simples que viam nele a certeza do socorro na dificuldade e um exemplo de vivência cristã.

Anúncios